Templates da Lua

Histórico

    + veja mais

    Votação

    Dê uma nota para meu blog

    Outros Sites

    XML/RSS Feed
    O que é isto?

    Leia este blog no seu celular

    Visitante Número

    Créditos

    Templates da Lua

    16/04/2010

    Mudei de endereço:

    http://just-me-and-the-world.blogspot.com/

     


    Escrito por Lika Band às 22h26
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    18/02/2010

    Da minha vida cuido eu!

     

     

    Algumas pessoas não se contentam em cuidar da própria vida e necessitam cuidar da vida de quem está ao lado. Por que será?
    Juro que não entendo esse pensamento de ter sempre alguém prestando atenção nos passos do outro, julgando e condenando tudo aquilo que fizeram ou deixaram de fazer... Penso que cada um é responsável por seus atos e pelas respectivas consequências. Cada um sabe os próprios limites e tem conhecimento de quando é a hora de ultrapassá-los ou não. É desnecessário ter sempre alguém vigiando o que você faz, ouvindo o que você fala, lendo o que você escreve para extravasar... Às vezes fico viajando nos meus pensamentos, tentando entender da onde vem tanta curiosidade de um ser humano só... Eu diria até que tudo isso é inveja ou quem sabe preconceito. Inveja, porque muitas dessas pessoas podem querer ser você, ter a sua vida, poder fazer o que você faz. E preconceito, porque não cultivam as mesmas crenças que você. Porque pensam de maneira diferente. Mas ainda assim, isso não justifica o desrespeito para com o outro. Não sei quantos concordam comigo, mas cada um deve cuidar daquilo que é seu e esquecer por pelo menos um momento o que não te pertence. Afinal, não tem nada mais irritante do que pessoas te dizendo o que você deveria ou não ter feito e de que modo...

    {tenso}


    Escrito por Lika Band às 16h23
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    07/02/2010

    Sentimentos

     

     Você já se sentiu como se nada no seu mundo pudesse se encaixar? Já se sentiu estranho (a) a ponto de não reconhecer seus verdadeiros sentimentos? Pois bem, estou assim há algum tempo. É como se os sentimentos estivessem todos juntos... Alegria, raiva, tristeza, euforia, tédio...

    Talvez eu esteja assim, porque as férias estão acabando e eu já voltei para casa. Talvez seja por causa dos problemas que enfrento diariamente... Ou quem sabe é pela faculdade que começa amanhã... (uma novidade na minha vidinha parada). É. Pensando bem, é por causa disso mesmo. Eu estou mesmo um pouco angustiada... Não sei se irei no trote, não conheço ninguém de lá, não sei como serão as aulas e os professores. Não sei, inclusive, se gostarei do curso. Espero que sim.

    E embora eu esteja com medo de iniciar essa nova fase da minha vida, devo compreender que nada é um bicho de sete cabeças. É preciso boa auto-estima, fé e determinação para seguir em frente, afinal, um simples obstáculo não pode impedir uma caminhada.

    Enfrentarei, portanto, todos os meus medos e veremos o que acontece. Espero que vocês torçam por mim, assim como eu torço para vocês terem sucesso em tudo que fizerem =)

     

    *PS: Desculpem-me pela má qualidade da redação. Estava sem ideias e escrevi apenas o que me veio na cabeça. Prometo que o próximo post será melhor... =)

     

     


    Escrito por Lika Band às 20h19
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    14/12/2009

    Love is in the air?

    Você avista por acaso quem você tanto queria. Ele está a alguns metros de distância. Você sente seu corpo estremecer. Suas mãos começam a suar. Seu coração acelera cada vez mais, quase saltando pela boca. Você observa aquela pessoa, como se fosse em câmera lenta: altura mediana, moreno, corpo sarado, um rosto de bebê. De repente ele te abre um lindo sorriso, com dentes incrivelmente brancos, perfeitamente alinhados. 

    Vocês continuam caminhando, um em direção ao outro, até se cruzarem. Param. Ele inicia um diálogo e você treme mais ainda. Atrapalha-se um pouco com as palavras, que saem engasgadas por conta do nervosismo. Vocês acabam por se divertir a tarde toda sem se dar conta que o tempo passou tão rapidamente. Então, como despedida, ele te dá um beijo lento e demorado, daqueles de cinema que fica gravado para sempre na memória. Você dá uma última olhada nele, vira-se, entra no carro e vai para casa. 

    Ao chegar, toma um banho quente na banheira com espumas e pétalas de rosa. Prepara-se para deitar. Antes de realmente fechar os olhos e sonhar com o dia maravilhoso que teve, fica pensando na vida, nos contos de fada. Será que contos de fada realmente existem? Ou foi só você que se sentiu uma verdadeira princesa, por ter passado o dia com que ama? Será que esse encontro foi tão importante assim para ele como foi para você? Será que você não está se iludindo uma vez mais?

    E então...seus pensamentos são interrompidos por um leve sinal... Você olha no celular: mensagem dele. E descobre enfim, que ele te ama e te quer para todo o sempre, assim como nos contos de fada.

     


    Escrito por Lika Band às 14h42
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    01/12/2009

    Consequências

    O que a imagem acima te diz? Será que algum dia alguém realmente se importou com a natureza? Será que alguém algum dia já pensou nos benefícios que ela poderia nos trazer? Bom...se isso aconteceu, pode ter certeza de que foi apenas por parte de uma minoria insignificante, o que é lamentável.

    Há muito tempo, desde que se iniciou uma espécie de "corrida pelo desenvolvimento" as pessoas foram cada vez mais se esquecendo daquilo que um dia foi motivo de alegria, estabilidade e bem-estar. Esqueceram-se de que seria possível sobreviver à moda da antiguidade ou como os índios: usufruindo apenas aquilo que o ambiente natural era capaz de produzir. A comunidade sobrevivia sem tecnologias de ponta, sem estradas asfaltadas, sem meios de transporte e eletricidade. Não era necessário nenhum luxo para isso. 

    Entretanto, com o decorrer dos anos, os homens sentiram a necessidade de ir em busca de algo que facilitasse suas vidas: inovação tanto em relação a infra-estrutura quanto em relação aos meios de comunicação e transporte. Está certo que tudo isso abriu novas oportunidades para a sociedade, originando uma dinâmica maior nas cidades do mundo todo devido às estradas e às ferrovias. Colaborou também para os estudos no ramo da Medicina, por exemplo, o que trouxe esperança para a cura de doenças antes desconhecidas, possibilitando um maior período de vida.

     Contudo, a criação dessas máquinas e progresso em estudos não foi o suficiente para suprir as necessidades de toda a população. Os benefícios se concentraram nas mãos de capitalistas conservadores, e grandes empresários, que desde o início se importavam apenas com o lucro que ganhariam, desrespeitando leis ambientais e ignorando as possíveis conseqüências que seus atos poderiam causar. Irresponsabilidade? Talvez. Falta de planejamento? Provável. Ambição? Com certeza.

    O problema maior é que a falta de consciência de boa parte dos cidadãos vem provocando inúmeros problemas na sociedade: ruas e estradas asfaltadas juntamente com lixo jogado em lugares impróprios impedem a infiltração da água das chuvas no solo, causando enchentes; a quantidade de veículos e indústrias cada vez maior aumenta a emissão de gases poluentes, colaborando para o efeito estufa e o aquecimento global, que por sua vez atinge as calotas polares, derretendo-as e modificando o hábitat natural de muitos animais além de aumentar o nível de água do mar; e, finalmente, o conflito mostrado na figura acima: desmatamento sem limites, que destrói (e já destruiu) boa parte da flora e fauna existente no mundo, ocasionando desequilíbrio dos ecossistemas e que no final das contas acaba por influenciar o próprio dia a dia dos homens.

    Sendo assim, é preciso que haja conscientização de boa parte da população, para que cada um repense nas suas atitudes e passe a colaborar mais com o meio em que vive, pois é ele que influencia o homem.


    *Eu sei que essa frase é clichê, mas... Se ninguém fizer nada, a situação não mudará. E estamos sujeitos desde já a sofrer ainda mais as conseqüências, que tendem a piorar cada vez mais. Elas podem até comprometer a vida das futuras gerações... pense nisso: hoje você sente apenas uma parte das conseqüências, mas no futuro quem enfrentará um caos maior serão os seus filhos, seus netos...

    *Vale lembrar também que ocorrerá a Conferência do Clima em Copenhague e que o Green Peace fez uma manifestação em relação ao tema, que pode ser visualizada nesse site: http://tinyurl.com/yfr3thx 


    Escrito por Lika Band às 19h40
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    28/11/2009

    Machado de Assis e o comportamento humano

    O texto de Machado de Assis, chamado "A borboleta preta" retirado da obra "Memórias Póstumas de Brás Cubas", apresenta inúmeras características realistas, devido à denúncia que o autor faz sobre a sociedade da época. Não só esse capítulo, como também outras obras realistas fazem uma análise crítica da sociedade.

    Contudo, ao ler especificamente esse texto, percebe-se que está evidente uma metáfora que diz respeito à aceitação ou não das diferenças sociais: a borboleta negra. Entende-se por esse símbolo, que a sociedade descrita por Machado de Assis, provavelmente era preconceituosa e racista. Um trecho que retrata essa afirmação é "(...)Vejam como é bom ser superior às borboletas! (...)".

    Outro comportamento humano criticado por esse capítulo e que também pode ser exemplificado pela citação acima é o egocentrismo, elemento relacionado à ambição, à sociedade de interesses e ao capitalismo.

    Observando a nossa sociedade, do século XXI, percebe-se que não há muitas mudanças, as pessoas continuam agindo da mesma forma que antes e continuam com a mesma mentalidade racista e ambiciosa. Porém, a população deveria transformar seu modo de pensar ou pelo menos, aprender a tolerar as diferenças existentes no mundo, ainda que isso seja feito a longo prazo.


    Escrito por Lika Band às 16h36
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    Machado de Assis e o Realismo no Brasil

    O realismo no Brasil foi seguido pelo romantismo do século XIX. Esses dois grupos literários apresentam algumas diferenças: no romantismo, tudo é idealizado (principalmente o índio) e o amor é tratado de modo subjetivo; já no realismo, não há idealização e o que predomina é a razão e o cientificismo.

    Podemos notar tal afirmação no capítulo "O emplastro" do livro "Memórias Póstumas de Brás Cubas". Nele, o narrador-personagem cria um emplastro com seu nome. Apesar de apresentar ambição, esse capítulo pode simbolizar a euforia burguesa, posto que o Realismo no Brasil caracterizou-se também pelas inovações no ramo da medicina.

    O livro de Machado de Assis, assim como outras obras literárias da mesma época, foi escrito não com o objetivo de entreter as pessoas, como no romantismo, e sim com a finalidade de instruí-las. Há também um olhar mais racional para o mundo. No livro, o próprio Brás Cubas nos diz isso por meio da ironia. E é da mesma maneira, que ele critica a elite brasileira, denunciando seus vícios.

    A partir da leitura e análise do livro, conclui-se que Machado utiliza-se de alguns artifícios que nos permitem identificar características do realismo, ao mesmo tempo em que introduz seu perfil à obra: "ao verme que primeiro roeu as frias carnes do meu cadáver dedico com saudosa lembrança estas memórias póstumas".


    Escrito por Lika Band às 16h30
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    Recado

    Não gostei muito da letra do template... mas eu gostei da imagem...então vou deixar esse até encontrar um melhor... =/ Beijos pessoas...se pá eu coloco mais textos daqui a pouco e respondo os comentários... estive sem tempo para essas coisas... Eu tb tô com preguiça de trocar a cor de fundo dos títulos.. quem sabe um dia eu faça isso.. é q tá ridículo, eu sei... bom... axo que para ver o blog de uma melhor maneira é bom deixar na resolução 1024 X 768 pixels =]


    Escrito por Lika Band às 15h45
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    08/11/2009

    Desigualdade social

    A desigualdade social tanto no Brasil como no mundo, está evidente em nossa sociedade principalmente devido ao sistema capitalista e consumista em que vivemos. Segundo a ONU, o Brasil se encontra em segundo lugar na lista de países com altos índices de desigualdade, perdendo somente para um país africano.


    No mundo hoje, estima-se que há 800 milhões de pessoas desnutridas e que há 300 milhões de crianças passando fome, apesar de em 1974 ter sido criada uma lei que dizia: Todo homem, criança e mulher têm o direito de se alimentar diariamente, de modo que se satisfaçam suas necessidades.

    O tema da miséria e da pobreza é tratado por diversos autores, dentre eles pode-se citar o Ítalo Calvino. Em sua obra "Marcovaldo ou as Estações na cidade", há um operário chamado Marcovaldo que, na hora do almoço, alimenta-se de linguiça e nabo utilizando talheres de estanho, enquanto um menino rico se alimenta de fritada de miolos utilizando talheres de prata. E é justamente essa cena que focaliza a desigualdade social.

    Segundo Drummond, nossa sociedade é caracterizada pelos seguintes versos: "a opulência do eu, / a pobreza do mundo", o que significa que a população é muito egoísta e que a maior parte dela visa ao lucro e o seu bem-estar próprio, esquecendo-se da classe social menos favorecida. Esses versos são um alerta tanto para as pessoas como para o governo. Ambos devem tomar providências em relação à fome e à desigualdade.

    Uma medida que pode diminuir o problema é transformar a sociedade capitalista em uma sociedade comunista. Ainda que esse processo seja lento e tenha um resultado a longo prazo, essa mudança faria com que houvesse melhor distribuição de renda, melhores empregos em maior quantidade e melhores condições de vida.


    Escrito por Lika Band às 19h51
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    26/09/2009

    With Honors

    Todos os dias enfrentamos inúmeros problemas em nossa sociedade, como por exemplo, poluição, pobreza, miséria, fome etc. Muitos deles são considerados "comuns" para parte da população, que prefere fechar os olhos para os conflitos a visualizá-los. Tal fato ocorre frequentemente em relação as diferenças sociais, tema tratado no filme "With Honor" de Alek Keshishian.

    No início do filme, Monty (estudante de Harvard) está preparando uma monografia sobre "assuntos governamentais", a qual pretende terminar antes do prazo maior, para que possa encerrar o curso com mérito. Contudo, no decorrer da história, o computador do estudante quebra. Então ele, por segurança, decide tirar xerox das folhas que já havia impresso e no caminho acaba deixando sua monografia cair no porão de uma biblioteca pública. Ao tentar recuperá-la, descobre que o mendigo Simon a pegou. E é esse o fato que dá origem ao resto do filme e à transformação das ideologias de Monty. É também por meio dessas duas personagens, que se ilustra a diferença social.

    A princípio, Monty tinha uma visão mais conservadora em relação ao mundo. Ele fazia distinção entre os mais privilegiados e os menos favorecidos. Porém, a partir do momento em que Simon faz um acordo com o estudante de Harvard e do convívio diário entre os dois, suas ideia muda completamente. Monty passa a perceber, pela prática, que todas as pessoas são iguais e têm os mesmos direitos e necessidades, independente de sua situação financeira. Os dois então, passam a ter uma relação afetiva de amizade.

    Diante do desenrolar da história, pode-se dizer que uma monografia deve ser baseada na realidade prática do cotidiano, não em ideais que muito provavelmente não poderão ser concretizados. Dessa forma, ela se torna um importante instrumento para mudar a sociedade. E, dentro desse contexto, é possível que todos façam suas contribuições para um mundo melhor, mais igualitário e mais rico culturalmente. Todos devem lutar por uma boa qualidade de ensino nas escolas, que é fundamental para a intelectualização das pessoas. Sendo assim, quanto maior o nível de educação oferecido para toda a população, maior será a conscientização humana em relação aos problemas diários.

    Portanto, conclui-se que "o objetivo final de um curso é obter o diploma e usá-lo como ponto de referência do seu conhecimento", visando também as necessidades do próximo.




    • Informações

    • Tradução de "With Honors": Com mérito
    • Direção: Alek Keshishian
    • Tempo Duração: 101min.
    • País origem: EUA
    • Ano Exibição: 1994
    • Distribuidora: Warner Bros.


    SINOPSE


    "Eu sou um mendigo. Mas... Eu sou um mendigo em Harvard" , diz Simon Wilder ( o ganhador de Oscar, Joe Pesci), que vive pelos seus próprios recursos naqueles campus. Lá ele encontra o veterano Monty Kessler (Brendan Fraser), que não teria nada a ver com o sem teto se não fosse por uma coisa: Simon tem a única cópia da tese final de Monty! Ele a devolverá por comida, um lugar para ficar e mais: uma página – por um favor – por vez. Uma nova vida está começando para Monty e seus colegas de dormitório (Moira Kelly, Patrick Dempsey, Josh Hamilton). Eles estão prestes a aprender que se você quer uma graduação, vá para Harvard. Se você quer aprender algo sobre a vida, veja Somin Wilder aconchegado e ganhando Com Mérito.

    http://www.supercinema.com.br/filmes/com_merito.shtml



     


    Escrito por Lika Band às 19h38
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    23/09/2009

    À procura da chave

    Ih! Aconteceu mais uma vez! Só para variar um pouco. Isso sempre acontece comigo.

    Certo dia, minha filha chegou em casa dizendo que fora convidada para uma megafesta da melhor amiga.

    - Mãe, vamos ao shopping Eldorado? Eu preciso estar linda nesse evento!

    E eu cansada, cheia de coisas para fazer como por exemplo: lavar roupa, guardar a louça que ainda estava na pia desde cedo e limpar a casa, respondi que não.

    - Ah, mãe! Por favor, vamos!

    Depois de tanto ela insistir eu acabei aceitando. O pior é que na hora, eu nem me lembrei de que o meu chefe havia falado que ele queria todas as cinquenta mil pilhas de relatórios preenchidos para o dia seguinte.

    Peguei a bolsa, a chave do carro e fomos. Andamos muito durante o tempo em que minha filha escolhia a roupa. Nesse meio tempo, acabei fazendo umas comprinhas básicas para mim também.

    Na volta, estávamos cheias de sacolas, indo em direção ao estacionamento e...

    - Filha, cadê a chave do carro?

    - Não sei, mãe. Você guardou-a quando estávamos no piso das lojas.

    Eu procurava, procurava e nada! Deixei os pacotes no chão e comecei a retirar tudo o que havia na bolsa: celular, batom, espelho, mini-escova de cabelo, documentos, cartões de crédito, elásticos de cabelo, brincos, pulseiras... Ah! meu anel! Faz tanto tempo que eu não o via! Lindo anel de brilhantes!

    De repente, me veio na memória a lembrança do trabalho que eu tinha de fazer. Aquele dos relatórios. Comecei a entrar em pânico. Ai, meu Deus! Cadê essa chave? Cadê? Maldita hora em que fui perdê-la! Maldita hora! Maldito dia!

    Subitamente, fui apressada de volta às lojas. Rodei aquele shopping umas quinhentas vezes! Refiz todo o caminho e... advinha? Nada daquela porcaria de chave!

    Fui até um segurança e pedi para anunciar no alto falante. Quem sabe alguém não acha a chave e me devolve?

    Fiquei esperando e esperando... uma hora, duas horas, duas horas e meia.

    Caramba! Que saco! Aparece logo, maldita chave!

    Já havia se passado três horas! Três horas! Eu poderia ter feito muita coisa nesse tempo! Agora já são quase dez da noite e eu ainda estou aqui! Esperando e pensando aonde eu posso ter perdido essa chave! Perdi minha tarde inteira nesse shopping de meia tigela! E esse guarda que não tem nenhuma informação! Já devia ter vindo me avisar se acharam-na ou não! É um incompetente mesmo! Nem para encontrar a minha chave ele serve!

    Ai, minha Virgem Maria! E os relatórios? Não vai dar tempo! São muitos! Já perdi a chave e agora perder o emprego também? Ah! Assim já é demais!

    Estava começando a apelar para o São Longuinho. Sabe como diz o povo, né? São Longuinho, São Longuinho, se eu achar minha chave eu dou três pulinhos! Até que...

    Resolvi sentar, porque com tudo o que aconteceu eu não parava de andar nervosa de um lado para o outro. Já estava super cansada e ao encostar no banco, senti algo estranho. Levantei, olhei e não havia nada. Sentei novamente. Só a partir daí ei percebi...

    - Filha, a chave estava no meu bolso de trás da calça o tempo todo! E com toda a agitação eu nem percebi! Que cabeça a minha!


    Escrito por Lika Band às 20h36
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    Crônicas

    Breve explicação:

    A crônica é um gênero narrativo. Como diz a origem da palavra (Cronos é o Deus grego do tempo), narra fatos históricos em ordem cronológica, ou trata de temas da atualidade. Mostra uma situação comum, vista por outro ângulo, singular. O cronista dá maior atenção aos problemas do modo de vida urbano, do mundo contemporâneo, dos pequenos acontecimentos do dia a dia comuns nas grandes cidades. A crônica é um gênero híbrido, pois mistura vários outros tipos de textos, como literatura e notícia.

    Há na crônica uma série de eventos aparentemente banais, que ganham outra "dimensão" graças ao olhar subjetivo do autor. O leitor acompanha o acontecimento, como uma testemunha guiada pelo olhar do cronista que tem a pretensão de registrar de maneira pessoal o acontecimento. O autor dá a um fato corriqueiro uma perspectiva, que o transforma em fato singular e único.

    Outro aspecto é que as personagens das crônicas não têm descrição psicológica tão aprofundada, pois são caracterizadas por uma ou duas características centrais, suficientes para compor traços genéricos, com os quais uma pessoa comum pode se identificar.


    RESUMINDO:

     

     

     

  • Características das crônicas

    A crônica é um texto narrativo que: 
  •  É, em geral, curto; 
  •  Trata de problemas do cotidiano; assuntos comuns, do dia a dia; 
  •  Traz as pessoas comuns como personagens, sem nome ou com nomes genéricos. As personagens não têm aprofundamento psicológico; são apresentadas em traços rápidos; 
  •  É organizado em torno de um único núcleo, um único problema; 
  •  Tem como objetivo envolver, emocionar o leitor.
  • Pode ter ironia e humor
  •  

     

     


    Escrito por Lika Band às 20h06
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    21/09/2009

    Transposição do Rio São Francisco

    Há muito tempo, os seres humanos vêm interferindo drasticamente no meio ambiente sem se importar muito com as consequências que isso traria no futuro. Na realidade, a preocupação com as questões ambientais surgiu há pouco tempo.

    O desenvolvimento das cidades, a explosão demográfica, as migrações e a urbanização são fatores que contribuíram para a exploração do ambiente e para problemas relacionados à água, tais como: contaminação dos mananciais, consumo elevado de água potável, irrigação pouco eficaz (já que apenas 50% da água utilizada é aproveitada, enquanto o restante evapora), desperdício, mau uso, entre outros elementos.

    Dentro desse contexto, surgiu também a questão da transposição do Rio São Francisco. Em relação a isso há duas visões antagônicas. Uma delas diz respeito à indústria da seca, cujo objetivo é ganhar lucro com a transposição.

    Por outro lado, devemos considerar a água potável como um patrimônio da humanidade, já que ela está se tornando cada vez mais escassa. Além disso, se essa obra for feita haverá um alto custo envolvido e o rio pode até secar.

    Diante dessa situação, podemos dizer que o problema principal não é a falta de água potável e sim o acesso à ela. Então, a melhor forma de preservá-la é construindo as cisternas, de modo que a população possa usá-la, sem fazer a transposição. Poderia arranjar uma outra forma de levar a água até o Nordeste, favorecendo as pessoas que lá vivem e não prejudicando o meio ambiente.



     


    Escrito por Lika Band às 21h19
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    Recursos hídricos

    A água, no mundo é de suma importância tanto par aos homens quanto para os demais seres vivos, uma vez que é fundamental para a manutenção da vida na Terra.

    Embora a água seja abundante, sabemos que a maior parte dela se encontra nos mares e oceanos, enquanto o restante vem sendo poluído devido às interferências humanas.

    Com o surgimento das primeiras fábricas, as pessoas se tornaram cada vez mais consumistas não só em relação aos diversos produtos industrializados, mas também em relação à água. Tanto esse aspecto como o aumento da população prejudicam o meio ambiente e a própria sociedade, posto que os recursos hídricos estão sendo cada vez mais explorados.

    Nesse contexto, podemos dizer que o principal motivo da "crise da água" é a escassez da água potável. Cada vez mais, a água doce que ainda temos disponível está se tornando inviável ao consumo, devido sua poluição por resíduos de processos industriais, esgotos domésticos, fertilizantes e pesticidas químicos.

    Outro fator que contribui para tal situação é o desperdício deste elemento nas irrigações, que apresentam técnicas pouco eficazes e de baixo rendimento, fazendo com que pouco mais da metade da água evapore e o mínimo restante seja aproveitado pelas plantações.

    Portanto, os recursos hídricos existentes e os ecossistemas que garantem a reciclagem da água doce precisam ser preservados. A sociedade deveria se conscientizar das graves consequências que o mundo enfrentará em relação à escassez da água e o governo poderia investir no tratamento de rios e outros ambientes aquáticos que estão poluídos. Desse modo, a vida na Terra seria melhor tanto para a natureza quanto para a humanidade.


                                                 



     


    Escrito por Lika Band às 20h18
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

    Mudanças

    Bom.. inicialmente, esse flog era pra cuidar das coisas do flog: http://flogvip.net/likaband... resultados de contest e tals.. mas se pá eu vou passar a colocar textos... sobre tudo... vou postar primeiramente as redações que fazemos na escola e tals... e com o passar do tempo, se der, eu vou colocando outras coisas... como dicas de música, indicações de sites, assuntos que poderão ajudar qq pessoa a fazer trabalhos de escola e coisas do tipo... então vamos começar por hj, se eu realmente ñ tiver paciência pra criar outro blog...


    Escrito por likaband às 19h48
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]